domingo, 19 de setembro de 2010

Vasco x Inter-RS, 23ª rodada

Não me façam essa cara, todos esperavam por isto!

Após a patética exibição contra o Avaí, o Vasco mostrou que não evolui nada desde então e perdeu pelos mesmos motivos que não ganhou na rodada passada: o time cria, mas não sabe fazer gols.

A diferença, é hoje enfrentamos o campeão da américa…

Até que ficou barato, o Vasco foi melhor no primeiro tempo se tivesse um atacante que sabe fazer gols ao invés de Rafael Coelho poderia ter saído na frente, quando este perdeu chance clara com gol escancarado.

Sinceramente, não sei quem é pior: Nunes ou Coelho. Será que Rafael ainda têm o que mostrar? É fato que volta de inatividade, mas nestes dois jogos, além de não criar nada, perdeu gols, foi o pior em campo disparado!

É a tal falta de homem-gol.

Além de homem-gol, o Vasco precisa de um psicólogo! Todo jogo começa melhor e se perde no vestiário, volta irreconhecível para o segundo tempo. Devem estar tomando laxante achando que é Gatorade…

De resto, nada o que comentar que vocês já não sabem.

Destaque para as atuações (como sempre) de Fernando Prass e Dedé, Fágner e Ramon, e um pouco menos de Éder Luís.

Carioca e Fellipe fizeram atuações razoáveis, e acho que o segundo não perde mais a posição para Rômulo, felizmente na minha opinião.

Por outro lado: Max, Fernando, Coelho e Jonathan o garoto sassarica afundaram o barco, ou melhor a caravela.

PC foi expulso mais uma vez de campo, tentando igualar os números de Carlos Alberto.

Que por falar nele, SERÁ que volta a jogar na próxima rodada?

E Felipe?

Sem eles, o Vasco é isso aí.

Eu reconheço que a diretoria montou uma equipe razoável, até boa, se tudo desse certo, estaríamos brigando pela parte de cima da tabela, mas algo trama contra o Vasco.

Isso, juro a vocês foi fruto de uma reflexão séria e perene. Não tem nada a ver com o jogo de hoje, o qual não esperava coisa diferente, mas é algo que com a cabeça fria, pude pensar desde a partida contra o Avaí.

É de se espantar que times inferiores ao Vasco estejam mais bem classificados, e um time com Fernando Prass, Felipe, C.A, Zé Roberto,Dedé,Ramon,Fágner e Carioca esteja em décimo segundo.

Lesões, suspensões, salários atrasados,briga política…quando será que as coisas vão funcionar A FAVOR do Vasco?

A invencibilidade ( do Vasco e de PC) acabou. O tempo dirá se isso veio para o bem ou não.

----------------------------------------------------------------------------------

 

O JOGO

O Internacional usou sua eficiência característica para bater o Vasco por 1 a 0, neste domingo, no Beira-Rio. Edu, na volta do intervalo, marcou para a equipe da casa depois de um primeiro tempo melhor do Cruzmaltino. O time do técnico Paulo César Gusmão ainda pode reclamar de um pênalti não marcado pelo árbitro Francisco Nascimento.

Com o resultado, o Colorado passou o Botafogo na tabela e reassumiu a quarta colocação, com 38 pontos. O Vasco, além de perder a invencibilidade de 14 jogos na competição, chegou ao quarto jogo seguido sem vitória. Agora, a equipe da Colina caiu para 11º, com 29 pontos.

A partida marcou também o fim da invencibilidade do técnico PC Gusmão, que ainda não havia perdido no Brasileirão.

Na próxima rodada, o Inter vai à Curitiba enfrentar o Atlético-PR, quarta-feira. No mesmo dia, o Vasco faz o clássico com o Botafogo, no Engenhão.

VASCO APOSTA NO CONTRA-ATAQUE E É MELHOR NO 1º TEMPO

O Inter entrou em campo com dois desfalques em relação ao time que bateu o São Paulo. Tinga sentiu dores momentos antes da partida e foi vetado. Andrezinho assumiu a camisa 7 colorada. Já o o talismã Giuliano, suspenso, deu lugar ao atacante Edu, que ganhou nova chance na equipe titular.

Já o Vasco foi a mesma que empatou com o Avaí, no meio da semana. Os meias Felipe e Carlos Alberto, lesionados, novamente desfalcaram a equipe cruzmaltina.

O jogo também marcou o primeiro encontro do técnico Celso Roth com o ex-clube desde que se transferiu para o time gaúcho, em junho.

Com três jogadores de marcação no meio-campo, o time de PC Gusmão apostou na pegada para tirar a vantagem técnica do adversário. Fellipe Bastos, Éder Luís e Zé Roberto pressionavam a saída de bola, e o Inter encontrou muita dificuldade para tocar.

Logo aos dois minutos, D'Alessandro foi desarmado e permitiu o contra-ataque cruzmaltino. Zé Roberto recebeu pela esquerda e quase abriu o placar. Pouco depois, o lateral Nei também errou na saída e quase permitiu jogada de perigo dos cariocas.

A proposta do Vasco era clara: segurar o ímpeto do time da casa e aproveitar os espaços para o contra-ataque. E deu muito certo durante a primeira etapa. Mesmo com 36% da posse de bola, foi do Cruzmaltino as melhores chances de gol. O time carioca, no entanto, esbarrou nas ótimas defesas do goleiro Renan. Nilton, Eder Luís, Fagner e Fellipe Bastos sentiram na pele a tarde inspirada do arqueiro colorado: foram quatro ótimas defesas que impediram o gol dos visitantes.

Travado pela forte marcação, o Inter era obrigado a recorrer aos lançamentos de Andrezinho e D'Alessandro para chegar à área adversária. Mas Leandro Damião se via perdido perante a zaga vascaína.

E o torcedor do Vasco teve do que reclamar na primeira etapa. Não fosse por dois personagens, poderia ter aberto o placar no Beira-Rio. O primeiro foi o árbitro Francisco Nascimento, que não marcou pênalti de Kleber em cima de Fellipe Bastos.

Já o atacante Rafael Carioca, que perdeu pênalti na última rodada, desperdiçou chance ainda mais clara aos 32 minutos. Fellipe Bastos, destaque dos 45 minutos iniciais, achou Zé Roberto, que cruzou para a área. Rafael, debaixo das traves, conseguiu finalizar para fora.

Antes da saída do intervalo, o Inter perdeu seu melhor jogador até então. Renan sentiu choque com o zagueiro Dedé e foi substituído por Pato Abbondanzieri.

Em seguida, D'Alessandro conseguiu finalmente finalizar para os gaúchos, mas Prass também mostrou sua qualidade no gol vascaíno.

DEFESA CRUZMALTINA VACILA E INTER ABRE O PLACAR

A superioridade na etapa inicial empolgou o Vasco, que resolveu sair mais na volta do vestiário. Era tudo que o Inter queria. Com mais espaço, D'Alessandro fez boa jogada pela esquerda logo aos dois minutos, e cruzou para Edu, que se aproveitou do vacilo da defesa e finalizou livre para as redes de Fernando Prass. 1 a 0 Inter.

A partir daí, a situação se inverteu e o Vasco teve que ir para cima. Mas o time parecia não estar preparado para o ataque, e os erros na frente proporcionavam mais chances para a equipe colorada.

O técnico PC Gusmão resolveu então mexer. O inoperante Rafael Coelho deu lugar a Jonathan, enquanto Ramon, que voltou recentemente de lesão, saiu para a entrada de Max. Mas as alterações não deram resultado, e as únicas jogadas do time da Colina eram os lançamentos para a área. Numa delas, Zé Roberto cruzou para Jonathan, que quase empatou.

Do outro lado, a equipe do técnico Celso Roth passou a fazer aquilo que não vinha conseguindo: tocar a bola. O Vasco, desorganizado, permitiu ao Colorado tomar o controle da partida.

No final, PC Gusmão, que acabou expulso pelo árbitro Francisco Nascimento, deu sua cartada final, colocando o meia Jefferson no lugar do zagueiro Fernando. Não deu certo, e a equipe de São Januário chegou ao quarto jogo seguido sem vitória.

Já o Inter reassumiu a quarta colocação, e segue sonhando com o título nacional.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 1 X 0 VASCO

Local: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data: 19 de setembro de 2010, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Público: 30.981.
Renda: R$ 474.840,00.
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Pedro Jorge Santos de Araújo (AL)
Cartão Amarelo: Índio, Nei, Leandro Damião, Guiñazu e Abbondanzieri (I); Dedé, Felipe Bastos, Rafael Carioca (V)
Gols: INTER: Edu, aos dois minutos do segundo tempo
INTERNACIONAL: Renan (Abbondanzieri); Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Mathias, Guiñazu, Andrezinho e D'Alessandro; Edu (Marquinhos) e Leandro Damião (Éverton). Técnico: Celso Roth
VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Fernando (Jéfferson Silva) e Ramon (Max); Nílton, Rafael Carioca, Felipe Bastos e Zé Roberto; Éder Luís e Rafael Coelho (Jonathan). Técnico: PC Gusmão

3

 

Com os resultados desta rodada,  a classificação é esta:

1

2

Fontes: Texto Lancenet, Vídeo Youtube,Ficha Técnica ClickRBS, tabela Lancenet, Notas Netvasco (dãã)

Saudações…/+/…

17 comentários:

Liso disse...

Não iremos a lugar algum sem o tal homem gol.

A derrota até que ja era esperada, mas a quantidade de bisonhas finalizações foi irritante.

Estamos entrando numa zona de perigo.

abs

Léo disse...

E aí Amigos.

Cada dia está mais difícil, não é mesmo? A impressão que tive hoje é a de que, se o Vasco jogasse mais 900 minutos, não faria gol.

Nem vou falar muito, pois, o post acima já esmiuçou bem o que foi o jogo e nossa situação atual. Porém, de forma resumida, percebe-se claramente a cada dia que:

1. Sem um atacante (o tal de área), não se vai a lugar nenhum;
2. O Rei dos empates, foi o único carioca que perdeu, os outros, por ironia, EMPATARAM;
3. Até quando joga bem, o Vasco não vence;
4. Não consigo entender como empatamos com times como o Avaí, Unimed, Galo (são ridículos demais e mostraram isso hoje);
5. Se os planos da diretoria eram mesmo a Libertadores, hoje, temos que ter muito cuidado, pois, precisaremos, no frigir dos ovos, é de nos “libertar” da segundona, ou, no máximo, uma vaga de “consolo” à Sul Americana;
6. Ninguém agüentava mais falar em invencibilidade;
7. Geralmente, os times investem mais em atacantes, o Vasco fez o contrário, investiu em volantes, zagueiros, pernas de pau e dispensou e ou vendeu quem fazia gols;
8. Eder Luis – bom atacante, péssimo finalizador – Rafael Barata – péssimo atacante e, deixa pra lá...;
9. Nunca, um time perdeu tantos pontos preciosos jogando em casa, e fora;
10. Amigos, vamos pensar em 2011 ????????????

Abraços, boa semana a todos.

Ps: O mando do jogo contra o Botafogo é do Vasco. Onde será realizado? Já vai começar a palhaçadinha de que S.Januário não oferece condições de receber clássicos? A conferir...

Léo disse...

E aí Amigos.

Cada dia está mais difícil, não é mesmo? A impressão que tive hoje é a de que, se o Vasco jogasse mais 900 minutos, não faria gol.

Nem vou falar muito, pois, o post acima já esmiuçou bem o que foi o jogo e nossa situação atual. Porém, de forma resumida, percebe-se claramente a cada dia que:

1. Sem um atacante (o tal de área), não se vai a lugar nenhum;
2. O Rei dos empates, foi o único carioca que perdeu, os outros, por ironia, EMPATARAM;
3. Até quando joga bem, o Vasco não vence;
4. Não consigo entender como empatamos com times como o Avaí, Unimed, Galo (são ridículos demais e mostraram isso hoje);
5. Se os planos da diretoria eram mesmo a Libertadores, hoje, temos que ter muito cuidado, pois, precisaremos, no frigir dos ovos, é de nos “libertar” da segundona, ou, no máximo, uma vaga de “consolo” à Sul Americana;
6. Ninguém agüentava mais falar em invencibilidade;
7. Geralmente, os times investem mais em atacantes, o Vasco fez o contrário, investiu em volantes, zagueiros, pernas de pau e dispensou e ou vendeu quem fazia gols;
8. Eder Luis – bom atacante, péssimo finalizador – Rafael Barata – péssimo atacante e, deixa pra lá...;
9. Nunca, um time perdeu tantos pontos preciosos jogando em casa, e fora;
10. Amigos, vamos pensar em 2011 ????????????

Abraços, boa semana a todos.

Ps: O mando do jogo contra o Botafogo é do Vasco. Onde será realizado? Já vai começar a palhaçadinha de que S.Januário não oferece condições de receber clássicos? A conferir...

Fabinho disse...

Olha Leo, eu já estou pensando em 2011 e torcendo para salvarmos 2010. Ontem até que entramos taticamente bem, só que com aquelas finalizações...

CA precisa voltar logo e definitivamente jogar.

Abraços

Manfredi disse...

Ô Coelho, depois de ontem, pede pra sair!!!!!

Quando voltaremos a fazer gols? Como chegaremos aos 40 pontos da salvação da degola?

Abraços

Zé Julio disse...

É Manfredi, todos rivais marcam gols e nós nada. Está difícil essa nossa torcida gritar GOOOLLLL!

Estamos pagando caro pelo vacilo da liberação do Elton.

Abs

Gabriel disse...

Léo, o jogo será no Engenhão com mando de campo do Vasco.
Irônico.

Manfredi, nem falei de Élton no Post para não chover no molhado... mas que bom que aqui têm pessoas inteligentes e que concordam comigo neste ponto.
Como sempre digo: Élton não é nenhum craque, mas para o VASCO faz muita falta.
Ele andava em má fase, reconheço, mas ele em má fase é melhor que Coelho richochete.

Caio disse...

Tivemos duas chances dentro da pequena área e nada. Na primeira do Inter eles meteram. Será que faremos os 40 pontos?

abraços

Ruy disse...

Se ficarmos dependendo de Rafael Coelho e Nunes para marcarmos gols estaremos num eterno sofrimento. Já mostraram que são um zero a esquerda.

E essa história da constante queda de rendimento nos 2os tempos!? É justamente nos intervalos que os técnicos ajustam seus times e o Vasco sempre retorna pior. O que será que acontece lá no vestiário?

Botafogo será pedreira.

Abraços

PS. Gabriel, espero também que essa derrota tão esperada, dê um sacode nesse nosso time. Acabou a invencibilidade e isso nos fará bem.

Léo disse...

Gabriel:

Quem sairá no lucro, no final das contas, será o Botafogo, que, pelo jeito, jogará todos os clássicos regionais em sua casa, independentemente de ter ou não o mando de campo. Brincadeira hein???

Ps: Saudades do Dinamite (o jogador), Bebeto, Romário e Edmundo. Como este quarteto fazia gols. Ontem, com certeza, sairíamos de P.Alegre com uma goleada histórica.

Abraços e boa semana a todos.

Paulo da Cancela disse...

Quando me lembro do gol perdido pelo Rafael Coelho, na pequena área e sem goleiro eu fico totalmente desacreditado.

Vamos penar muito até dezembro.

saudações

Lima disse...

Onda anda nossa diretoria? Se o mando de campo é nosso, por que não jogaremos no nosso Caldeirão?

Lugar de sofrer é em casa!

Abraços

Gabriel disse...

A verdade é a seguinte: São Januário a muito tempo não têm capacidade de receber clássicos.
Quando digo "não têm capacidade"quero dizer capacidade física. Quando aprovado o estatuto do torcedor, uma das clausulas dizia que estádios com mais de X lugares deveriam ter X câmeras de vigilância.
Quem conhece São Januário, sabe que dá para colocar 40 mil lá.
Mas o estatuto mudou, diz que o espaço para uma pessoa deve ser de Tantos metros quadrados, e por si só diminuiu a capacidade limite.
Eurico nunca se preocupou em adequar o estádio para receber clássicos,e Dinamite também.
Não sei se por falta de vontade, interesse ou capacidade.
Talvez pela divisão da bilheteria no Maracanã ser maior , afinal a capacidade aumenta...

o fato é que o VASCO perde muito não mandando seus jogos em casa, como o Santos manda em estádio BEM menor.

Gabriel disse...

A verdade é a seguinte: São Januário a muito tempo não têm capacidade de receber clássicos.
Quando digo "não têm capacidade"quero dizer capacidade física. Quando aprovado o estatuto do torcedor, uma das clausulas dizia que estádios com mais de X lugares deveriam ter X câmeras de vigilância.
Quem conhece São Januário, sabe que dá para colocar 40 mil lá.
Mas o estatuto mudou, diz que o espaço para uma pessoa deve ser de Tantos metros quadrados, e por si só diminuiu a capacidade limite.
Eurico nunca se preocupou em adequar o estádio para receber clássicos,e Dinamite também.
Não sei se por falta de vontade, interesse ou capacidade.
Talvez pela divisão da bilheteria no Maracanã ser maior , afinal a capacidade aumenta...

o fato é que o VASCO perde muito não mandando seus jogos em casa, como o Santos manda em estádio BEM menor.

Léo disse...

É Gabriel:

O Palmeiras, antes da reforma, também mandava seus jogos no Palestra Itália. Estádios como Anacleto Campanela, Brinco de Ouro, Orlando Scarpeli, Cidadania, Independência, Ipatingão, tantos outros, inferiores, tem sim, clássicos importantes.

Lógico, tem a questão da segurança, adequação ao estatuto, mas, antes disso, não sei se por medo, ou ciúmes dos outros times(principalmente os do Rio, que nem estádio possuem), na verdade, o Vasco sempre tem que se sacrificar, saido de sua própria casa, quando, na maioria das vezes, o "trunfo" maior do mandante, é jogar no seu próprio "terreiro".

Fazer o que Amigos? Faz parte da vida.

Abraços.

Digo disse...

Dizem que o Coelho chorou no vestiário rsrsrsrs e nós depois do penalti e o dentro da área? Invés de chorar vai treinar!
abs

Lenon disse...

Digo - Que ele acerte aquele pé amanhã! Vamos torcer para o nosso emotivo perdedor de gols.

abs