quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Vasco x São Paulo, 16ª rodada

O que houve?

Você também deve estar se perguntando isso. A algumas horas vimos 11 jogadores entrando em campo com a cruz de malta no peito, mas devem ter sido clones dos atletas do Vasco.

Uma inexplicável falta de vontade fez o Vasco conquistar em São Paulo mais um ponto fora de casa, mais pela inoperância do péssimo time do São Paulo do que outra coisa.

O resultado foi ótimo! 90 minutos de ataque contra defesa, o tricolor tentando marcar um gol num adversário letárgico para vencer e quem sabe espantar a crise por lá, tomou as rédeas da partida e sufocou o time de preto em seu campo de defesa, que sem saída de jogo, cansou de entregar a bola nos pés dos paulistas.

Para completar, nas poucas vezes que a bola chegava ao ataque, encontrava um Zé Roberto omisso e apagado, ou um previsível Éder Luís que parece só jogar com a perna direita e driblar com a mesma. Chegou a ser patético ver quantas vezes Miranda desarmou Éder Luís da mesma maneira, um bote na perna direita do atacante Vascaíno quando este cortava para o lado dela.

PC Gusmão fez igual àqueles tios chatos que contam a piada e repetem, para ver se a gente entendeu. A da noite foi ver Felipe na lateral outra vez, onde ele nem cria, nem defende, só abriu uma avenida para Jean atacar pela direita do ataque são-paulino. Se Felipe não fez ainda chover, não vai ser nessa posição.

A bola vinha com o ataque do São Paulo, era rechaçada pela nossa defesa, que se faça justiça também não deu grandes oportunidades para o time da casa, e voltava…voltava para o São Paulo, porque havia um buraco onde deveriam estar Rômulo e Carioca. Já Nílton que fez partida mais ou menos ( Mais para menos do que para mais) tentou lembrar os tempos que entregava o ouro, quando aos nove minutos do segundo tempo, ao tentar lançar uma bola de trivela da zaga para o meio, botou a pelota na cabeça do jogador do São Paulo que puxou o ataque.

Para deixar bem claro a situação do Vasco hoje, foram ZERO chutes à gol, contra QUINZE do São Paulo, sendo que um desses, à queima roupa de Prass, pelos pés de Marquinhos já aos 40 e pouco do segundo tempo, onde eu juro, vi a vaca indo para o brejo, mas Fernando, a muralha da colina, operou mais um milagre e defendeu com os pés.

Fica difícil falar do jogo, analisar cada atleta, numa partida dessas, onde ninguém estava afim de jogar, foi um milagre não termos sido goleados hoje, então, como apontar um destaque do time que não Fernando Prass? Estes mencionados acima foram os que chamaram mais a minha atenção, mas por exemplo poderia citar Fumagalli, que pegava na bola e ela parecia colar nos pés dele, já que demorava tanto para decidir aonde tocar que dava raiva. E Jonathan? Sei lá de Jonathan, só reparei nele quando no único ataque perigoso do Vasco,com Fágner na metade da segunda etapa, driblou o marcador e cruzou rasteiro para dentro da área. Aí Jonathan se enrolou e deixou ela escapar.

Ninguém foi pior que ninguém no Vasco, ninguém foi mais culpado, mas todos pecaram pelo mesmo motivo; a falta de vontade de vencer, coisa que vinha sendo característica desse time.

O que será que aconteceu? Será que a questão dos salários finalmente interferiu no campo?

E porque será que o treino desta quinta-feira foi cancelado?

O remédio é esperar, e se contentar com este ponto, torcendo para não aparecer mais notícias ruins nas próximas horas.

O JOGO

O São Paulo até que queria fazer um gol. Mas não conseguia acertar o pé. O Vasco não queria levar gols. Conseguiu o objetivo. O resultado não poderia ser outro: 0 a 0, na noite desta quarta-feira, no Morumbi, pelo Brasileiro. Sérgio Baresi, técnico interino do Tricolor, agora tem o futuro nas mãos da diretoria. PC Gusmão viu sua equipe se contentar apenas em segurar o dono da casa, sem ambição, e sentindo falta do poder criativo de Carlos Alberto.

Com o resultado, o anfitrião ficou com a 15ª posição, com 18 pontos, e está próximo da zona de rebaixamento, mas não corre o risco de ficar entre os quatro últimos nesta rodada. O visitante está em nono, com 22 pontos, mas pode perder posições nesta quinta. Na próxima rodada, o time carioca recebe o Cruzeiro em São Januário, no sábado. No dia seguinte, o Tricolor enfrenta o líder Fluminense, no Rio.

Tricolor sem mira, e Vasco sem fome de gols

Após a derrota pesada por 3 a 0 para o rival Corinthians, Baresi apareceu com um time diferente contra o Vasco: sacou Fernandão, Cleber Santana e Marlos. E colocou Fernandinho, Richarlyson e Marcelinho. Este último, vindo da base, não se intimidou e fez exatamente o que o treinador queria: partiu para cima da defesa adversária com velocidade e habilidade. Fernandinho ficou mais aberto pela esquerda, e Ricardo Oliveira centralizado. O Cruzmaltino manteve a formação do clássico contra o Fluminense, com Felipe pela lateral esquerda e Nilton reforçando a zaga, que se armava com três quando os cariocas não tinham a bola. Allan ficou com a vaga de Carlos Alberto, suspenso.

O dono da casa começou a partida melhor. Mais agressivo, principalmente pelos pés de Marcelinho. Logo aos três minutos, ele se livrou da marcação e passou para Ricardo Oliveira, que chutou cara a cara com Fernando Prass. O goleiro fez excelente defesa. Mas, apesar de incomodar da defesa do Vasco com mais frequência, o Tricolor tinha dificuldades na conclusão.

O Vasco demorou a aparecer na área são-paulina. E quando o fez, aos 23 minutos, o lance não valeu. O lance só valeu pela bela jogada de Felipe, que passou com categoria por Rodrigo Souto e tocou para Zé Roberto na área, mas este já estava em posição irregular. Aos 26, Fernandinho se irritou com uma chance desperdiçada e chutou a bandeirinha de escanteio, tirando a mesma do lugar. Como um aluno desobediente, foi obrigado pelo árbitro Carlos Eugênio Simon a consertar o objeto.

Ricardo Oliveira perdeu sua segunda chance na partida aos 28, quando Marcelinho, na corrida, tocou para ele na frente. Sozinho diante de Prass, mais uma vez chutou em cima do goleiro, que tirou o perigo de perto do gol vascaíno. Aos 31, mais uma vez o camisa 99 encontrou a bola na pequena área, mas antes que conseguisse ajeitar para concluir, viu o zagueiro Fernando roubá-la.

O Vasco se arriscou mais nos minutos finais do primeiro tempo. Aos 39, Fagner cobrou escanteio pela direita, e Fernando tentou cabecear para o gol. Conseguiu, mas a bola só não entrou porque Miranda, na pequena área, chutou para cima. O São Paulo respondeu em uma cobrança de falta de Jean, da intermediária. A bola fez curva e tocou o travessão de Prass, acima do ângulo esquerdo do goleiro. Que susto para os vascaínos! O Tricolor pressionou até o fim do primeiro tempo, e Jean arriscou mais um chute de longe, que passou à esquerda do gol de Prass. Mas o intervalo começou com o 0 a 0 no placar.

Mais do mesmo, e placar sem gols

Ricardo Oliveira não teve o segundo tempo para tentar marcar o gol que tanto procurou na primeira etapa. O atacante sentiu dores no joelho e deixou o time no intervalo, para a entrada de Fernandão. Baresi também fez outra alteração: colocou Carlinhos Paraíba na vaga de Casemiro, com o objetivo de equilibrar mais o meio-campo.

Fernandão apareceu logo no primeiro minuto, pedindo falta de Fernando na área. Mas Simon não se deixou levar. Fernandinho seguia mais aberto pela esquerda, enquanto o camisa 9 aparecia centralizado. Marcelinho, com velocidade, recebeu uma bola de Fernandinho aos 10, correu pela esquerda e tentou o chute, mas a bola passou por cima do gol de Prass. Parecia que o primeiro tempo se repetiria, com o São Paulo atacando e o Vasco se defendendo.

Aos 17, o time carioca apareceu com perigo pela primeira vez na área são-paulino na etapa final. Fagner tentou cruzar rasteiro para Fumagalli na frente do gol, mas este não conseguiu dominar a bola.

Cansado de ver Fernandinho correr, mas não chegar ao gol, Baresi colocou Dagoberto em campo. O atacante não jogava pelo São Paulo desde a segunda partida das semifinais da Libertadores e chegou a falar publicamente que estava sendo injustiçado dentro do clube com comentários negativos. Ele voltou a ser relacionado somente neste jogo contra o Vasco.

Éder Luis tentou chegar à área são-paulina pela direita aos 27, mas Miranda, com uma categoria que não se via há algum tempo, desarmou o atacante. No minuto seguinte Jean arrancou pela direita e arriscou o chute da entrada da área, jogando a bola longe do gol e sem ver que Dagoberto entrava livre. A torcida reclamou.

Tentando provar que o banco não é o seu lugar, Dagoberto dançou diante de Fagner e passou pelo vascaíno em direção ao gol, mas o passe para Marcelinho não foi bom. Mesmo assim, o camisa 25 não sossegava. Arriscou o lançamento para Fernandão, mas Dedé se antecipou. Aos 32, o mesmo Dagoberto arrancou pela esquerda, cortou pelo meio e caiu na entrada da área, mas Simon não entendeu que houve a falta. Mais uma vez, a torcida chiou. Mas, aos 33, Fernandão caiu no mesmo lugar e o árbitro apontou a infração. Ceni apareceu para cobrar. Mas quem chutou, por cima do gol, foi Paraíba.

Marcelinho tabelou com Fernandão, aos 41, e chutou para o gol, mas Prass não deixou que a bola entrasse. Nos minutos finais, a pressão era ainda mais são-paulina. O Vasco, todo no seu campo de defesa, se segurava como podia. E conseguiu deixar o Morumbi com um ponto conquistado fora de casa. Sem a vitória tão importante para sua sequência, Baresi deixou o gramado sem saber do próprio futuro.

Fonte: GloboEsporte.com

 

A classificação ficou assim hoje, lembrando que a rodada é fechada amanhã:

tabela

 

O próximo compromisso será sábado, 28/08 contra o Cruzeiro em Belo Horizonte.  São Januário, como lembrou nosso amigo Lenon.

 

É isso amigos, desculpem estar atordoado assim, mas tenho certeza que vocês também estarão.

Saudações…/+/…

16 comentários:

Paulo da Cancela disse...

Também estou atordoado amigo Gabriel. 72 horas depois de um jogo com raça, foi o que se viu. Será que a ausência do CA gerou um time sem vontade de tentar ganhar?

Acho que o PC armou o time apenas para manter a sua invencibilidade...

Que lucro esse mísero pontinho!

Abraços

Digo disse...

Que joguimho vergonhoso foi esse.

Quase nada a comentar, Gabriel já disse tudo. O Prass salvou mais uma vez!

abs

Lenon disse...

Passei aqui só para votar e concorrer ao Corsa, pois do jogo de ontem não há nada pra se falar!

Gabriel, o jogo contra os mineiros será na Colina....

Abraços

Carla Lia disse...

Ontem torci muito para que o jogo acabasse logo.

Será mesmo o efeito dos salários atrasados já entrando em campo?

Abraços

Lair Dias disse...

Só merecem algum reconhecimento: Prass, Dedé,Fernando e Fágner (foi o único que tentou o ataque).

Pc foi em busca do empate e conseguiu.

Saudações

Gabriel disse...

Tem razão lenon, já corrigi! =]


PS: Fontes água de Lindóia me confirmaram que Ernani deve voltar a treinar em 3 semanas.

É bom PC achar um lateral esquerdo para ontem, porque senão vai continuar queimando o Felipe.

Eu achei que Irrazábal entrou bem ontem, pelo menos defensivamente, pois o São Paulo não achava mais aquela avenida pela esquerda e passou a mandar bola alta na área.

Léo disse...

Gabriel:

O jogo de ontem me fez lembrar aquele contra o Palmeiras em S.Januário. Se o PC pudesse, colocaria mais um volante (o do carro dele), assim amigos, esta invencibilidade vai durar muito...

Achei que o Vasco iria aproveitar o bom momento e partir prá cima do S.Paulo, num mal momento. Ledo engano.

amos aguardar amigos, em casa, não tem jeito, é ganhar ou ganhar.

Abraços.

Gabriel disse...

"Se o PC pudesse, colocaria mais um volante (o do carro dele)"
HUAHUAHAUHAUHAUHUHAUHAH

pode crer Léo, pelo menos ontem diferente daquele dia, jumar não estava em campo !

Caio disse...

Concordo com o Léo: Também estava achando que iríamos aproveitar o embalo do jogo contra o tricolor carioca e cairíamos pra cima dos paulistas. Na verdade o interesse maior do PC, foi garantir a invencibilidade que o coloca na mídia do campeonato.

Essa do volante foi muito boa.........

Abraços

Léo disse...

Amigos:

Amanhã pegaremos o Cruzeiro, que, se não vive um bom momento, é sempre perigoso. Gosto muito do goleiro Fábio. Lembrando que o C.Alberto volta.

Gabriel, Jumar, NÃO.

Abraços a todos, um excelente jogo e bom final de semana.

Ps: E o Palmeiras hein? que vexame...

Gabriel disse...

Léo, duvido que alguém tenha colocado o Elias no time do Cartola FC

Digo disse...

Põe vexame nisso Léo. Felipão quase chorou. E o Ganso, que ferrada!

Amanhã tô lá!

Abraços

Kiko disse...

Olha o vasco aí gente....


Fernando Prass; Fagner, Dedé, Fernando e Irrazábal; Rafael
Carioca, Nilton, Felipe e Carlos Alberto; Zé Roberto e Éder Luís.

Vamos lá Vascão... Vamos lá CA ! Muita raça hoje!

Saravasco

Zé Julio disse...

Hoje é dia: gatinho no Manél e depois São Janu. Será mais um jogo decisivo de tantos que ainda virão pela frente.

G4 neles moçada.

Bom jogo.

Saudações

Liso disse...

Palavras de um amigo meu (Boris - não é o Casoy) em outro site vascaíno: "Já estou vendo no final do ano o Dedé, o Jonatan e o Rõmulo serem vendidos na calada da noite e a preço de banana (Como aconteceu com o nosso Souza).
Vocês (diretoria) vão ter que explicar depois...."

Nosso markting é fraco, esse atraso de salários é vergonha e ainda pagaremos caro por isso....

ACORDA DIRETORIA,

Bom jogo a todos....

Abs

Ruy disse...

Como pode um patrão exigir de seus subordinados empenho, se o salário não é respeitado? Esse Dinamite só está pensando em seu momento na política e está esquecendo do nosso Vasco da Gama. Isso vai acabar muito mal!

TRABALHO = SALÁRIO !!!!

Espero não ver corpo mole em campo hoje.

Abraços