terça-feira, 31 de agosto de 2010

Mantenga la distância

Em primeiro lugar, me desculpem fugir totalmente do assunto do blog, que é esportivo, especificamente do Vasco da Gama, mas… certas coisas que se passam no mundo, é impossível de ignorar.

Acho que todos já estão sabendo da chacina no México, onde inclusive morreram dois brasileiros? Pois bem…

Reproduzo post de um dos melhores blogs da NET, o do jornalista Flávio Gomes ( RECOMENDO) pois suas palavras transmitem uma opinião exatamente igual à minha.

SÃO PAULO (já deu) – Leio nas folhas que a tia de Juliard Aires Fernandes, 19 anos, um dos chacinados pelos traficantes mexicanos que mataram 72 imigrantes que tentavam entrar ilegalmente nos EUA, disse que seu sobrinho poderia estar vivo no Brasil se o país lhe oferecesse oportunidades.

Ele e Hermínio Cardoso dos Santos, 24, são os brasileiros que estavam no grupo executado pelo crime organizado no país mais neoliberal da América Latina, parceirinho comercial dos EUA, gracinha-gracinha. Queriam fazer a América.

Ambos pagaram 24 mil reais para pilantras que prometeram coloca-los nos EUA. “Ninguém sai da própria pátria sem ser por necessidade. Aquilo que nosso país não dá, vamos buscar lá fora. É ilegal? É, mas qual é a alternativa? Entra e sai presidente e não se faz nada”, disse a tia ao repórter Rodrigo Vizeu, da “Folha de S.Paulo”. A tia viveu seis anos nos EUA. A mãe do outro assassinado, dona Maria, contou que seu filho Hermínio queria “ganhar um dinheirinho para fazer uma casa e, se sobrasse, comprar um carro velho”. O menino já tinha sido deportado da Itália e impedido de entrar em Portugal.

O país que não “dá condições”, no entanto, lhe deu a chance de comprar uma passagem para a Itália, outra para Portugal, e mais uma para a Guatemala, a partir de onde tentou entrar nos EUA. E lhe deu condições de arrumar 24 mil reais para tentar entrar ilegalmente nos EUA.

Que me desculpem a mãe de um e a tia de outro, mas o dinheiro das passagens, mais a taxa de imigração ilegal seriam suficientes para comprar um carro velho. E talvez para começar a fazer uma casa na zona rural mineira, de onde saíram. O que o país não lhes dá é a chance de ganhar dinheiro fácil. Ou de sonhar em ganhar dinheiro fácil, como promete a América encantada.

Jamais vou julgar ninguém por querer morar fora do Brasil. Nem por querer ganhar dinheiro fácil. Cada um faz o que quer, acredita no que quiser. Mas esses dois meninos, embora sejam daquela classe social que vagamente chamamos de “gente simples e pobre”, sabiam exatamente o que estavam fazendo quando arrumaram os 24 mil reais para comprar uma passagem ilegal para o sonho americano. Não é pouco dinheiro. Sabiam que o que estavam fazendo era ilegal. Estavam tentando ludibriar um país que não quer mais receber ninguém. Sabiam os riscos que estavam correndo. Poderiam ter investido melhor esse dinheiro. Na sua roça, num trator, num curso de inglês, num pequeno negócio em suas cidades, numa faculdade.

Mas preferiram optar pela vida fácil: fazer a América lavando louça ou pintando paredes. Tiraram 24 mil reais de suas famílias em nome de um desejo babaca. Perderam suas vidas.

Esse tipo de imigrante não tem graça nenhuma, valor nenhum. É bem diferente daquele que saiu da Europa,ou do Japão, ou da África, fugindo da guerra, da miséria, da fome, da perseguição. Ou daqueles que fogem de ditaduras, da opressão. Ou mesmo daqueles que simplesmente buscam novas aventuras, desejam viver, aprender, crescer em outro país.

Não existe nada de errado em querer morar fora de seu país. Absolutamente nada.

Mas é uma injustiça com seu país culpá-lo por ter sido assassinado tentando fazer algo ilegal e com dinheiro no bolso.

Autor: Flavio Gomes

 

Eu tenho muito orgulho do meu país. Mais ainda de ser filho de imigrantes, fugidos da ditadura de Salazar em Portugal. E justamente por amar esta terra de Sarneys, PC Farias, Collor e Delúbio Soares da vida, fico bastante irritado quando vejo este tipo de coisa.

Já viajei bastante.(…) algumas vezes quase não voltei, mas alguma coisa entre o tutu à mineira e a Brahma sempre me trouxe de volta,e nunca nada mudou aqui, nem para o bem, nem para o mal.

Sou o primeiro a defender minha pátria quando alguém fala mal dela, desde que a pessoa esteja errada ou exagerando, e também sou o primeiro a  baixar o pau nesta terra da impunidade, do “jeitinho” e do Q.I ( Quem Indique), mas ouvir de uma pessoa que o seu país não lhe dá oportunidades, estando ela pagando uma boa grana, 24 mil reais, ( mais que o meu carro, o qual estou pagando com muito suor)  para cometer um crime ( Crime, pois) aí é fogo.

Antes de se perguntar o que o seu país pode fazer por você, devemos refletir, e chegar à conclusão? O que eu faço pelo meu país?

Aonde acaba a responsabilidade do “país”e começa a nossa?

Aonde acaba a culpa do país, e começa a da PESSOA?

O Brasil têm culpa quando uma pessoa resolve praticar de crime para viver a vida?

Crime, bandidagem, para mim,independe de classe social, cor de pele, orientação sexual ou time de futebol. Qualquer um pode ser ladrão. 90% dos deputados, Senadores, e etc. são pessoas abastadas, normalmente de classe média com cursos superiores e são desonestos.

Aqueles dois CAPITÃES da PM, presos com um bando furtando cabos de fibra ótica na zona sul, são pobres coitados marginalizados da sociedade? O que leva então uma pessoa para o crime? para mim, nada mais que a sua índole.

O crime é uma consequência da pobreza, ou uma causa dela?

Longe de mim querer ser o Messias do ano 2010, o portador da verdade, tenho minha opinião como você quer está lendo também, mas será que um país que já produziu tanta gente boa, que já tirou tanta gente da pobreza e levou para a fama  e riqueza é assim tão mesquinho, que não dá oportunidades?

Quantos jogadores de futebol todo ano saem do país para ganhar milhões LEGALMENTE lá fora?

Quantas celebridades instantâneas da televisão saem do anonimato e enchem as burras de dinheiro?

Pelo contrário, eu acho que o BRASIL dá oportunidades ATÉ DEMAIS. É muito fácil ganhar dinheiro no Brasil, basta achar a oportunidade certa para fazer dinheiro LEGALMENTE.

Se você estiver na M…. sem UM REAL no bolso, você pedirá na rua. Alguém vai te dar e com aquela moeda, você pode escolher guardar, comprar uma caixa de isopor e latinhas de Coca-Cola para vender no sinal, ou pode comprar um copo de cachaça.

A escolha é sua, mas oportunidades aparecem todos os dias.

 

Uma boa noite amigos e desculpem o desabafo!

6 comentários:

Lair Dias disse...

Perfeito Leo! Endosso suas palavras.


BRASILLLLLL!

Caio disse...

Com 24 mil eu abria uma birosquinha, aquelas com sinuquinha e totó.

Abs

Vasconcellos disse...

Clandestinidade, geralmente é um caminho sem volta!

Salários atrasados, também...

Vascoooooooooooo

Kiko disse...

Na verdade esses pobres e humildes mineiros, se iludem com as promessas dos espertos e sempre caem nas armadilhas perdendo quase sempre todo o dinheiro investido nessa clandestinidade. Só que dessa vez perderam a vida, que fique o exemplo.

Sobre o Vasco: Ontem Léo Gago e Enrico marcaram para o Coritiba, esse empréstimo do Gago foi péssimo para nós. Também, o PC vivia deixando o cara no banco.

Saravasco

Léo disse...

É Gabriel:

O mundo assistiu àquelas cenas de horror no México e todos nós ficamos estarrecidos, como quem não acreditando. O que me intriga, às vezes, é o fato do cara não ter coragem de fazer serviços considerados de menor importância aqui no Brasil (tais como pegar no cabo da enxada, lavar uma louça, varrer uma rua, etc-o que para mim,são funções dignas de respeito-), e chegar nos EUA ou Europa e se submeter a isso, passando até por humilhações, e, pagando com a própria vida, como foi o caso.

Conheço um Pastor que dizia em suas palestras mais ou menos o seguinte: “Tudo na vida é questão de escolha, só não escolhemos o dia de nascimento nem o da morte”. É verdade, o peão escolhe que curso quer fazer, para que time quer torcer, com quem quer casar, que roupa quer sair, para onde ir, enfim, temos o livre arbítrio. As conseqüências de nossa escolha, porém, poderão determinar nosso sucesso ou derrota.

Só mais uma coisinha. Vou dar um exemplo de como nosso País ainda é um lugar legal para se viver. Agora mesmo, não se fala noutra coisa senão na sentença de morte a qual fôra condenada aquela Iraniana. Vejam que autoridades, chefes de governo, o próprio mundo clama e intercede por aquilo que denominaram como “um castigo cruel e inaceitável”.

Como você bem descreveu. Existe sim alguns que se beneficiam em detrimento de outros, na maioria das vezes, aproveitando-se da boa fé do cidadão, que, pensando votar numa pessoa digna, está votando num canalha. Mas, via de regra, depende mais do “EU”, da minha boa vontade, esforço, de eu pagar um preço (caro sim, mas compensatório num futuro).

Se não fui claro Amigos, perdão.

Ps: Gabriel, é bom fugir um pouco à regra, falar de outros assuntos que não o futebol, ainda mais quando nosso Vascão não joga no meio de semana. E o Flamengo, hein? Vexame atrás de vexame.

Abraços.

Gabriel disse...

Olha, eu estou bastante satisfeito com as exibições do urubu... não sei do que reclaman! ( Bwhuahuahua)