domingo, 3 de abril de 2011

Vasco 4 x 0 Bangu, 6ª rodada da Taça Rio

(blog do Gago atualizado, comentem! =D www.blogdogago.com)

Pode parecer fácil comentar um jogo desses. Mas não é.

Não que o Vasco me decepcionou hoje, nem poderia, ganhando de 4 x 0, uma goleada é sempre bom. Mas eu fico me perguntando por que o mesmo tipo de apresentação não foi nos dada na Quarta-feira diante do ABC.

Hoje, o Vasco acertou tudo, foi perfeito. Sempre há espaços para melhorar, mas de uma maneira geral o Vasco foi superior em tudo, e só não goleou por mais três ou quatro gols porque o goleiro deles é uma grata surpresa desse Carioca.

O nome do jogo não poderia ser outro: Felipe.

Ele pode não ser um exemplo de amor à camisa, de ídolo, mas é certamente ainda um jogador que desequilibra,um craque que decide, que é o que importa. Após vários meses, finalmente Felipe está no topo de sua forma física, e aí é até covardia, os adversários simplesmente não conseguem prever o que o “maestro” vai fazer.

O que me leva ao ponto fraco do Vasco hoje: É justamente o seu jogador que está desequilibrando; O camisa 6 da colina.

Contra o ABC, vimos a falta que ele faz, e isso não pode acontecer ao Vasco, depender de um jogador, ainda mais um que nem sempre estará disponível devido ao inevitável peso da idade.

Eu, prefiro ser otimista e pensar que assim que alguns jogadores que chegaram com um nível de preparação física abaixo do ideal atingirem esse ponto, o Vasco vai deslanchar a nível nacional e não só estadual. Talvez seja por isso que Felipe está sendo tão preciso; Um jogador que faz a bola correr até os pés do companheiro, e não o contrário.

Na verdade, sendo justo eu acredito que hoje foi mais um passo em direção à preparação ideal do time, quando o Vasco como um todo faz tudo direito, jogadores e treinador, é difícil segurar, pois a qualidade do elenco fala mais alto.

Voltando ao jogo, o Bangu foi um adversário de valor, pode parecer que uma goleada de 4 x 0 foi conquistada logo no início do jogo, e administrada no segundo tempo, mas não foi assim. Na verdade, o Vasco era de longe mais perigoso, mas não acertava o último passe, e o primeiro gol só veio aos 40.

Claro, com exceção de Felipe, que antes de servir com precisão Dedé no lance do gol, já havia deixado Éder Luís na cara do gol, que perdeu, como de costume.

O Bangu é limitado lógico, mas foi o primeiro a assustar; Uma falta cobrada com veneno por Tiano, que eu não sei como não vai parar em um time grande, defendida pela trave e rechaçada por Prass e um pouco de sorte. O time da zona oeste vendeu caro a derrota até o intervalo, quando o Vasco resolveu atropelar. Mas foi um exemplo de fair-play, jogou sério, não usou de violência exceto o descontrolado Raphael que cotovelou Felipe Bastos, e mesmo após estar perdendo de 4, viu Allan ( que estava abusado) tentar uma lambreta e não perdeu a pose. Na verdade, os jogadores do Bangu em alguns lances até usaram de habilidade, como Possato que deu uma bonita caneta em Diego Souza.

Individualmente vale destacar que Ramon mesmo jogando mal é melhor que Márcio Careca, Allan que é volante está se saindo um bom lateral, Diego Souza, Leandro e Alecsandro estão se esforçando muito para render mesmo fora de forma, e Éder Luís precisa ficar fazendo cerão treinando finalizações após o expediente. Não, eu não estou esquecendo que o próprio marcou um belo gol de fora da área, mas na frente do goleiro não é a primeira nem a segunda vez que o Chico Bento perde um gol. O que não chegou a tirar o brilho de sua atuação. Bernardo no pouco que jogou, foi brilhante.

Na estreia do novo uniforme homenageando os camisas negras, a torcida deu um show e lotou o Estádio Vasco da Gama, e de presente recebeu uma atuação de gala, agora vamos torcer para que isso se torne hábito.

Saudações…/+/…

O JOGO

Empolgado com um público que encheu São Januário, o Vasco partiu para cima do rival. A volta de Felipe trouxe um toque de experiência e cadência que tanto faltaram contra o ABC, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil. Foi o camisa 6 quem ditou o ritmo da partida, mostrando ser peça fundamental no esquema de jogo montado pelo técnico Ricardo Gomes.

Quem também se destacou foi a outra novidade do time: Fellipe Bastos. O substituto de Eduardo Costa, lesionado, deu novo ritmo ao meio-campo vascaíno. Além de velocidade e toque de bola, os chutes de longe, sua principal arma, tornaram-se opções constantes. Foi desta maneira que o Vasco criou suas duas primeiras oportunidades. Primeiro, um chute com força. Depois, um colocado.

O Bangu se mostrava um time empenhado e chegou a obrigar Prass a realizar grande defesa em falta de Tiano. Até que veio a expulsão de Raphael, depois de acertar o cotovelo no rosto de Fellipe Bastos em uma disputa de bola pelo alto. Com a defesa adversária mais aberta, o show de Felipe começou.

Foram passes precisos, dribles curtos, toques de efeito e até um chute colocado para defesa importante de Thiago Leal. Um vasto repertório que estava em falta. O Vasco poderia ter aplicado uma goleada ainda no primeiro tempo. Eder Luis, por exemplo, desperdiçou duas chances inacreditáveis. Uma após passe açucarado do camisa 6. Outra, em grande jogada individual.

Se os atacantes não faziam, coube a um zagueiro abrir o placar. Felipe colocou Dedé na cara do gol. O chute de primeira saiu um pouco truncado, mas quicou no gramado e enganou o goleiro Thiago Leal, até então um dos grandes nomes da partida.

No segundo tempo, o Trem Bala da Colina não diminuiu o ritmo. E novamente Felipe foi o maquinista. Logo no início, o camisa 6 deu outro passe na medida para Eder Luis apagar as oportunidades desperdiçadas no início da partida. Desta vez, o camisa 7 soltou uma bomba no cantinho, com muita precisão. O gol deu ainda mais tranquilidade ao Vasco, que, bem aplicado taticamente, não deixou o Bangu respirar.

O jogo já estava resolvido, mas o Vasco queria muito mais. Alecsandro, que fazia outra partida apenas razoável, muito preso entre os zagueiros do Bangu, recebeu um passe na medida de Bernardo, que entrara no lugar de Diego Souza. O camisa 9 só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol e desencantar com a camisa do Vasco. A jogada começou com Felipe. Foi ele quem esticou a bola para Bernardo, na cara do gol. Euforia total dos mais de 16 mil presentes na Colina, aos 27 do segundo tempo.

Depois de três participações decisivas, faltava o gol do dono do jogo. E ele veio dois minutos depois. Felipe recebeu na entrada da área, levantou a cabeça e não teve dúvida. Mandou com efeito, como se estivesse cobrando uma falta. O goleiro só pulou para constar. O domingo estava fechado com perfeição. Presente mais do que merecido para um ídolo que prova não ter voltado ao clube só a passeio.

FICHA TÉCNICA


Vasco 4 x 0 Bangu
Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Eduardo Cordeiro Guimarães (RJ)
Auxiliares: Flavio Manoel da Silva (RJ) e Sergio Waldman (RJ)
Cartão vermelho: Rafael (19'/1ºT)
Gols: Dedé 1-0 (40'/1ºT), Éder Luís 2-0 (2'/2ºT), Alecsandro 3-0 (24'/2ºT) e Felipe 4-0 (29'/2ºT)
Vasco: Fernando Prass, Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon, Fellipe Bastos (Jumar), Rômulo, Felipe e Diego Souza (Bernardo); Éder Luís (Leandro) e Alecsandro. Técnico: Ricardo Gomes
Bangu: Thiago Leal, Gedeilson, Abílio, Diego Padilha e fabiano; Rafael, Josiel, Tiano ( Possato) e Ricardinho (Thiago Galhardo); Somália e Pipico (Esquerdinha). Técnico: Marcão
Fonte: GloboEsporte.com (texto) Youtube ( Vídeo) Globo Online (ficha)

10 comentários:

Lair Dias disse...

Show da nossa torcida e mega-show do gênio Felipe!

Abraços

Carla Lia disse...

Sair de casa num domingo chuvoso com o amado filho para ver o Vasco da Gama e um belo show do Felipe, não tem preço.

abraços

Paulo da Cancela disse...

É Carla e amigos, um domingo para se guardar, ainda mais com o Felipe calando a boca de muita gente... uma camisa linda... e um time que dá gosto de se ver jogar!

Gostei da partida do Fellipe Bastos.

Sds

Fabinho disse...

Até o flamenguista Ricardo Mauricio Prado se rendeu ao show "se fosse o R10 q tivesse feito o q o Felipe fez hoje,já estariam falando pra ir pra seleção" e outra; " R10 não fez em nenhum jogo o q o Felipe fez hoje".



Vascooooooooo

Ruy disse...

Caracas, quase que Fernando Prass paga o maior mico! Tudo bem, deixa isso pra lá, o melhor mesmo foi ver esse mago do futebol escondendo a bola, que assistências, tudo perfeito. Está mesmo provado que sem ele, ficamos sem a fundamental criação de jogadas.

Boa semana a todos

abs

Digo disse...

Eu tava lá moçada, que jogo! Valeu Felipe. E se o EDER LUIS mete aquele gol que ele fez fila, ia ser completo o domingo!

Ricardo G. , bota o Ramon pra treinar cruzamentos!

Que venha o ABC!

abs

Zé Julio disse...

Rivais, tirem o chapéu. Felipe jogou um futebol de seleção brasileira!

Se a lambreta do Allan funcionasse e terminasse num golaço, seria o delírio da galera! Ele também precisa caprichar mais nos cruzamentos, assim o Alexsandro teria mais rendimento dentro da área.

Abraços

ary disse...

jogou bem , empolgado!!
Mais por fraqueza do adversario que merito do time..
Tem que abrir o olho na Copa Do Brasil...
Abraços

Léo disse...

Gabriel:

Um dos motivos pela atuação diante do ABC foi exatamente a ausência do Felipe; jogar em SJ parece ser melhor, outro motivo; queria também destacar a importância de cada jogo. Parece-me que aquele jogo lá não era tão importante, quando o de volta poderá ser mais fácil. Claro, corre-se muitos riscos.

Enfim, galera, vocês já falaram tudo. Fiquei aliviado com o gol do Alecssandro. Como o garoto tem se esforçado para fazer gols. Aquele até a Vovó faria, mas, valeu. Quando entrar em forma, segura...

Que golaço do Felipe e outro também de placa do Eder Luis, este, que queria sair no início do ano, foi ovacionado pela torcida...

Belíssima atuação, linda camisa.

Ps: Acredito sim, o Vasco tem muitas surpresas reservadas para nós.

Abraços.

Manfredi disse...

Campeonato nem acabou e imprensa, já ecidiu que o craque do torneio é o nosso Felipe, aconteça o que houver daqui pra frente. Esse é o Vascão!

Que festa no domingo!

Amanhã teremos mais!

abs