terça-feira, 2 de dezembro de 2014

O ano que vem...(6)

"O Rio parou no tempo"

Todo carioca que acompanha futebol sabe disso. Qualquer outro centro futebolístico do país tem seus principais clubes com a vida mais ou menos acertada, um centro de treinamento, e infra-estrutura mínima para um clube de futebol.

Basta dizer que Santa Catarina, outrora irrelevante para o futebol nacional, hoje, tem MAIS clubes na série A ( Joinville, Chapecoense, Figueirense e Avaí) do que  Rio, que apenas contará com três, já que o Botafogo volta à segundona.

Não é que a água de Santa Catarina é mágica e dá super poderes aos habitantes de lá para jogar bola. Eles fazem algo muito simples; Tem um mínimo de estrutura e pagam em dia.

Quem disse aquela frase lá em cima, não foi nenhum joão-ninguém não. Foi Ramon. Aquele mesmo! Hoje, diretor do Joinville.

Tem gente que acha que esse tal de "profissionalismo" é modinha passageira, e invenção da televisão. Esse tipo de gente é o culpado do estado de decadência do futebol do Rio, que em sete anos já tem três rebaixamentos. Quatro, se contarmos que o Flu CAIU ano passado e foi resgatado do abismo naquele fatídico e investigado "caso Héverton".

"Ah mas também tiveram três títulos nacionais" dirão alguns. Sim, e à que custo? O time que ganhou duas vezes é o mesmo que hoje, deve VINTE meses de direito de imagens ao seu principal jogador. É o mesmo que caiu ano passado, é o mesmo que, sem a patrocinadora por trás,  fecharia as portas. A cada ano o Fluminense piora, e não por coincidência, a Unimed aperta mais o cinto.

É claro que NADA supera o talento. Para alguém ser campeão brasileiro, basta contratar 11 bons jogadores. O "temível" Cruzeiro, em 2013 comprou "Deus e o mundo", fez um salseiro danado e meio que nas coxas, o mesmo time que flertou com o rebaixamento pouco tempo antes, formou uma baita equipe que se sagrou bi-campeã brasileira semana passada. O mesmo pode se falar de ambos os títulos do Flu e do urubu.

Mas, e quando falta a grana pra isso?

Aí meu amigo, a coisa aperta. Não adianta contratar um baita jogador, e não pagar em dia. Porque simplesmente ele não joga. Já vimos times se sagrarem campeões com salários atrasados, mas isso é uma exceção à regra, no longo-termo, é justamente o oposto. Times com qualidade no papel, não alcançam seus objetivos.

E vamos falar de CT?

Qual é o único time do Rio com estádio próprio? Ele mesmo. Onde o Vasco treina? No CFZ... 

CFZ fica num local apropriado, Recreio dos Bandeirantes (onde este que vos fala reside), e os jogadores em pouco tempo em seus carrões chegam lá. Coisa que muita gente no Brasil não pode dizer o mesmo, inclusive eu que descambo do Recreio pro centro todos os dias....

...mas no CFZ falta estrutura. Não basta ter dois campos, é preciso uma academia, acomodações, etc. 

A solução seria, ou voltar ao Vasco-Barra, que eu não faço ideia de como anda hoje, ou construir um local próprio. A prefeitura deu o terreno, que é o principal, em Vargem Grande (que fica a dez minutos da Barra), mas cadê que Vasco e Botafogo se coçam para começar as obras? Até o Flamengo tem um CT, bem ou mal. O Fluminense não, mas o Fluminense faz algo mais simples; treina nas laranjeiras e joga no Maraca. Coisa que o Vasco não poderia fazer, já que é situado em São Cristóvão, muito longe da Zona oeste/Sul, onde os jogadores residem.

Aí vocês comparem essa situação dos times do Rio, à do Cruzeiro ou do Galo. Nem precisam ir tão longe, comparem com os times de São Paulo. Comparem com os times de Santa Catarina, que eu citei antes, e aí a gente começa a entender os motivos do futebol carioca estar indo pelo ralo.

---/+/---

Como eu já havia dito, Eurico vai se cercar dos mesmos que já chuparam nas testas do charuto no passado. Angioni acertou sua saída do Flu, onde recebia 150 mil por mês, para voltar o Vasco que, teoricamente vai lhe pagar metade, mas em dia (será?!) [ vejam só vocês!].

Mas, isto não quer dizer que Isaías Tinoco seja carta fora do baralho. Afinal de contas, Isaías estava lá votando no charutão.
Anotem aí, Isaías vai achar uma boquinha em São Janú. Nem que seja na base.

BASE, aliás, que vai ser entregue de bandeja para o Euriquinho!

Me digam uma coisa: No mandato Eurico quantos jogadores o Vasco revelou? Digam o que quiser do Roberto, e eu concordo com tudo, mas hoje temos atletas em TODAS as seleções de base, e pelo menos meia dúzia de garotos no plantel principal; Thalles, Jordi, Lorran, Luan, Jomar, Marquinhos, Iago...

A base, o bem mais preciso do Vasco, e único pilar de salvação para os tempos de penúria, vai sair das mãos do Mauro Galvão, profissional respeitado e reconhecido no Brasil inteiro, e ser entregue à alguém cujo único item no currículo, é ser filho do presidente.

Isto para alguém que cansou de criticar Dinamite por usar os serviços do Genro e sua agência de turismo! Que PUTA coerência!!!!!





Um comentário:

Digo disse...

Tamu FU!