segunda-feira, 8 de outubro de 2012

[Brasileirão] Vasco 1 x 0 Atlético-GO

 

Mais uma rodada no G-4 senhores, mais uma rodada.

Aos 40 do segundo tempo, já sabendo da vitória do São Paulo sobre o periquito, e fazendo contas de como ficaria nossa situação com um péssimo empate com o time goiano, Juninho, sempre ele, marcou o da vitória.

Vitória que veio suada, sofrida, agoniante até, pois o Vasco foi a Goiás e jogou como mandante, tamanha é a grandeza da torcida vascaína, que vamos a Goiás e o estádio é todo nosso. Mesmo assim, jogando contra o pior time do campeonato e com um homem a mais durante quase o jogo todo, o gol não saia.

E se tentou de tudo; cruzamentos ( mais do que se gostaria) enfiadas, chutes de longe… mas quem chegava mais perto do gol, por incrível que pareça, era o Atlético, em duas vezes, com Marinho e com Felipe, chutando para fora grandes oportunidades em contra-ataques. Para completar, o (bom) goleiro Márcio cobrou uma falta com maestria no apagar das luzes do primeiro tempo, chutando rasteiro por fora da barreira, e Fernando Prass milagrosamente salvou. Uma das melhores defesas que eu já vi na vida.

Faltou ao Vasco a qualidade no último passe, a criatividade para colocar a bola dentro da área adversária em condições de chute, a habilidade para driblar dois ou mais marcadores e colocar um companheiro na cara do gol. Faltou capricho. Faltou acima de tudo, qualidade. Falta qualidade ao Vasco, aquele camarada capaz de em um único lance desmontar uma zaga.

(Éder Luís já foi esse camarada, mas hoje é um farrapo de jogador se comparado ao atacante que já foi. Assim como Carlos Alberto, assim como Eduardo Costa, assim como Rodolfo, assim como Felipe. Todos grandes jogadores, com passagens pela seleção, mas que despencaram do topo.

Três deles ainda tem idade para dar a volta por cima, mas a idade pesa para Eduardo Costa e Felipe, que pediu durante a semana para não ser escalado como meia atacante, mas como armador recuado, função que desempenhava antes de Juninho chegar ao Vasco. Esse é o problema, ele quer jogar na posição do melhor do time. Palmas para o Felipe que opinou sinceramente, mesmo sabendo que isso lhe custaria a titularidade.)

No segundo tempo, Marcelo Oliveira tentou de tudo para tornar o Vasco mais efetivo; Sacou o incolor, inodoro e insípido Jonas para colocar Mr. T, ou melhor, Fellipe Bastos, sacou Thiago Feltri para colocar Felipe, e finalmente Carlos Alberto para a entrada da promessa Marlone. Nada disso parecia funcionar, porque o Atlético estava decidido a não tomar gols, e defendiam como quem defende a mãe em discussão.

O Vasco sufocou como era de se esperar, mas o gol veio quase no fechar as cortinas, o que nos deixa bastante aliviados na hora, mas preocupados depois. Ninguém discorda que o Vasco não jogou bem, inclusive os próprios jogadores, mas o importante é a vitória.

Temos que vencer, simples assim. O São Paulo é OUTRO time agora, e jogando assim alcança o Vasco se não continuarmos vencendo. Além disso, o próprio São Paulo disputa a Sul Americana, que este ano dá vaga na libertadores.  Caso eles vençam, apenas três times conseguirão a vaga, portanto a nossa briga tem que ser com o Grêmio pelo terceiro lugar, porque, pelo andar da carruagem nessa rodada, Atlético e Fluminense não soltam os dois primeiros lugares.

 

 

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 0 X 1 VASCO
Local: Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data-Hora: 5/10/2012 - 16h20 (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Ciro Chaban Junqueira (TO)
Renda/Público: R$ 411.155,00 / 13.212 pagantes
Cartões Amarelos: Pituca (ACG); Carlos Alberto (VAS)
Cartões Vermelhos: Gustavo, aos 20'/1ºT e Ricardo Bueno, aos 47'/2ºT (ACG)
GOLS: Juninho, aos 41'/2ºT (0-1)
ATLÉTICO-GO: Marcio, Adriano, Gustavo, Reniê e Eron (Ernandes - 36'/2ºT); Pituca, Dodó, Marino e Alexandre Oliveira (Diego Giaretta - 21'/1ºT); Ricardo Bueno e Felipe (Danilinho - 37'/2ºT). Técnico:Artur Neto
VASCO: Fernando Prass, Jonas (Fellipe Bastos - Intervalo), Dedé, Renato Silva e Thiago Feltri (Felipe - Intervalo); Nilton, Wendel, Juninho e Carlos Alberto (Marlone - 17'/2ºT); Eder Luis e Alecsandro. Técnico: Marcelo Oliveira

18 comentários:

Liso disse...

Tanto sofrimento pra se vencer o lanterna e com menos 1 em campo desde a metade do 1o tempo, é muito sofrimento. Temos é que correr atrás do Grêmio e tá esquisito. 4a feira será só a vitória nos interessa.

Carla Lia disse...

Foi um susto sim. Só que mais uma vez o Juninho nos salvou depois de bela jogado do Felipe. Outro fato marcante foi o apoio da torcida do início ao fim, que fique o exemplo.

Abraços

Manfredi disse...

Nosso time erra passes demais e chuta pior ainda pro gol, isso quando chuta (livro apenas o Juninho). Pensem bem, quantas defesas o Márcio fez durante o jogo todo?

Ruy disse...

Isso aí Carla, quarta-feira temos que fazer nossa parte lá em São Januário.

Digo disse...

Alecsandro e Eder Luis estão gracinhas, nada fazem. Estamos jogando na dependência do Juninho.

Lenon disse...

O Atlético jogou na quarta fora do Brasil e com 1 a menos correu mais que o Vasco, se não fosse o Prass....

Não temos mais nenhuma jogada pelas laterais e estamos vivendo de Juninho!

Steve Harris disse...

AEK Athens FC
FJV Athens
Heavy Metal Army

Paulo da Cancela disse...

Muito bom o abraço entre Felipe e Juninho, acho que calou a boca de mitos corneteiros de plantão.

Amanhã, mais uma decisão.

Vascoooooooooooooo


sds

Liso disse...

Por favor Juninho, nos proteja!

Liso disse...

O que faremos com o Eder Luis.....

Liso disse...

E o Dedé com o Mano, sacanagem.......

Liso disse...

Esse Thiago Feltri também é uma gracinha

Liso disse...

Quem tem matador.......... bye bye. Prass deu mole!

Liso disse...

A diferença.... L Fabiano faz, Eder Luis perde, simples né!?

Liso disse...

Ooooo Eder Luis pede pra cagar e fica no vestiário!

Liso disse...

E o Mito lá com o Mano num momento desses........

Liso disse...

Ooooo Thiago Feltri, vai cagar também.

Liso disse...

E O Auremirrrrrrrrr, que foda! Tá vendo Dinamite, e a culpa era do Cristóvão! fui, desisto...... até mais.